1.

Responsabilidade Social Corporativa e Sostenibilidade

Atualmente, as organizações enfrentam desafios mais complexos do que antes. Desafios que requerem inovação e, muitas vezes, mudam as práticas tradicionais para atingir os objetivos estratégicos e alcançar a sustentabilidade da organização e da sociedade. 

O desenvolvimento sustentável exige que as atividades humanas sejam harmonizadas com os processos naturais do mundo. Na América Latina, pelo menos 77% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos sustentáveis, segundo dados da Nielsen. O mundo da informação impulsiona as demandas de clientes cada vez mais bem informados e conectados e pressiona as empresas a melhorar suas práticas.

A publicação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em 2015 estabeleceu uma estrutura adotada por países e organizações para contribuir para um mundo sem pobreza, alcançar a paz e a prosperidade e proteger o futuro. 

A estrutura estabelecida pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável permite que os países estabeleçam novas prioridades e adotem visões mais abrangentes em suas análises de desenvolvimento.

Outro marco criado pelas Nações Unidas é oEl Pacto Mundial, uma iniciativa criada para vincular as organizações empresariais aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e promover uma agenda relacionada a Direitos Humanos, Normas Trabalhistas, Meio Ambiente e Anticorrupção. O pacto é composto por 10 pontos ecada dia mais empresas o integram como parte de sua estratégia de Responsabilidade Social Corporativa e suas práticas de sustentabilidade.

O que é Responsabilidade Social Corporativa? 

A Responsabilidade Social Empresarial ou Corporativa é o compromisso que uma empresa adquire voluntariamente para fortalecer sua equipe e favorecer o ambiente que a circunda, além do arcabouço legal exigido pelo país ou região na qual desenvolve suas atividades. 

A Responsabilidade Social Corporativa reflete no impacto social gerado pelos projetos da organização, na redução do impacto ambiental gerado por suas atividades, no bem-estar e desenvolvimento pessoal de seus funcionários, entre outros.

A internet e as redes sociais criaram um mundo mais informado e menos tolerante. Para uma empresa, desenvolver projetos de Responsabilidade Social Corporativa melhora sua reputação e imagem e, portanto, seu valor agregado, conforme indicado por um artigo publicado pela Innovation & Entrepreneurship Business School.

Logicamente, a lucratividade aumenta à medida que mais pessoas conhecem a organização e se identificam com suas práticas e, ao mesmo tempo, um diálogo mais próximo com os clientes é criado e suas necessidades são melhor atendidas. A publicação também observa que:

“aqueles, e não são poucos, que defendem que a responsabilidade social corporativa não é alheia ao equilíbrio de contas e que tem influência e relevância no balanço final da organização, consideram que a chave é integrar a RSC na própria identidade da empresa; em sua missão, visão e, obviamente, valores”.

Cultura e Responsabilidade Social Corporativa 

A cultura de sua empresa e, portanto, de suas equipes, deve estar imbuída de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade.

É na Cultura Organizacional que devemos integrar a promoção de valores ligados à melhoria da produtividade da empresa e sua missão de mudança positiva. 

Para realizar este processo, é necessário antes de tudo o compromisso da gestão, como indicado em umartigo publicado no El País. Manter bons processos de comunicação interna, coerência entre a projeção da marca e a avaliação interna da equipe, metas e objetivos ambiciosos, produtos coerentes, equipe motivada e talentosa, voluntariado corporativo, promoção de melhores estilos de vida e colaboração, fazem parte das práticas sugeridas para estabelecer uma cultura sustentável.

2.

Responsabilidade social corporativa na Espanha e na América Latina

A Responsabilidade Social Corporativa é um conceito que tem anos de impulso na América Latina e na Espanha. Na Argentina, pelo menos 788 organizações assinaram o Pacto Global das Nações Unidas, segundo artigo publicado na Infobae e escrito por Flávio Fuertes, coordenador do Pacto Global das Nações Unidas na Argentina. 

O artigo também aponta que «essa mudança de era é marcada por uma abordagem diferente dos líderes empresariais ao fazer negócios: de ter uma agenda reativa, baseada em riscos e focada na criação de valor econômico, passamos para uma agenda proativa, com base na criação de valor sustentável». 

«Empresas B» e Responsabilidade Social Corporativa

Um movimento interessante que veio para ficar e todos os dias têm mais impulso na América Latina e na Espanha são as chamadas «Empresas B». As Empresas B integram entre seus principais objetivos o impacto positivo nos ambientes sociais e ambientais que a cercam. 

O senso de sucesso dessas empresas é medido pelo bem-estar das pessoas, pela proteção do meio ambiente e pelo desenvolvimento da sociedade. De acordo com oRelatório Anual 2018 do Movimento B Corp, que certifica as empresas B na Espanha, quase 60 empresas adotaram esse modelo no país.

O Ranking Global 100, elaborado pela empresa canadense Corporate Knights e que classifica as empresas de acordo com sua sustentabilidade, coloca 3 organizações da América Latina no Top 20 das empresas mais sustentáveis ​​do mundo, segundo artigo publicado pela Revista Forbes

O índice é construído com indicadores de desempenho, redução de carbono e resíduos, diversidade de gênero entre as lideranças, renda derivada de produtos limpos e sustentabilidade em geral. O Banco Interamericano de Desenvolvimento, por meio de seu braço de relacionamento com a empresa privada BID Invest, também gera um ranking chamado IndexAmericas, que classifica as 100 empresas mais sustentáveis ​​que operam no continente e que estão listadas na bolsa de valores.

3.

A empresa e os Direitos Humanos

A organização Anistia Internacional define os direitos humanos como «direitos que todos nós temos pelo simples fato de existir». Respeitá-los nos permite criar as condições indispensáveis ​​para que os seres humanos vivam com dignidade em um ambiente de liberdade, justiça e paz».

Com o avanço da agenda de direitos humanos por meio da mídia e com a promoção de políticas públicas voltadas para o seu cumprimento, muitas das organizações mais importantes do mundo adotaram marcos como o Pacto Global como um mecanismo para contribuir com a sociedade.em que se desenvolvem.

Os direitos humanos são tão importantes que foram objeto de discussão no Fórum das Nações Unidas, realizado todos os anos e que, em 2018, foi realizado sob o tema «respeito empresarial pelos direitos humanos – construção com base no que funciona».

Nas palavras do Presidente do Grupo de Trabalho sobre Empresas e Direitos Humanos, Dante Pesce, «a prevenção de efeitos negativos sobre as pessoas ocupa um lugar central na devida diligência. Isso ajuda a responder à questão de «como» respeitar os direitos humanos na prática.» Ou seja, um empreendedor responsável deve pensar primeiro no povo.

As Nações Unidas baseiam suas ações a partir dos Princípios Orientadores de Direitos Humanos e Empresas, um documento breve e muito interessante que define as responsabilidades das organizações para aplicá-las.

Em resumo, esses pontos são os seguintes:

  • as empresas devem respeitar os direitos humanos, isto é, não infringir os direitos de terceiros e repará-los se forem afetados;
  • as empresas devem evitar e impedir que suas próprias atividades e as geradas por seus processos produtivos, ocasionem em conseqüências negativas sobre os direitos humanos e lidar com essas conseqüências quando elas ocorrerem;
  • todas as empresas, independentemente de seu tamanho, são responsáveis ​​pelo cumprimento dos direitos humanos, mas os meios fornecidos por elas para assumir a responsabilidade pode variar dependendo desses fatores e da gravidade das consequências geradas;
  • as empresas devem ter políticas e procedimentos apropriados para cumprir sua responsabilidade no cumprimento dos direitos humanos;

As empresas contribuem diretamente para o cumprimento do direito ao trabalho decente e condições de vida adequadas. É essencial que as organizações mantenham padrões de conformidade com essas garantias e promovam em suas sociedades o cumprimento dos direitos humanos por meio do exemplo e da disseminação de valores positivos como a paz, a honestidade, o respeito e a consciência ambiental.

4.

Reduzir o impacto no meio ambiente

Seu escritório está comprometido em reduzir o impacto no meio ambiente? Todos os dias, as organizações assumem um papel mais ativo e proativo na redução do impacto das mudanças climáticas, um dos desafios mais complexos e relevantes para a humanidade. 

A redução das emissões de gases de efeito estufa para a atmosfera, melhorias na gestão de resíduos, o uso de energias alternativas em seus processos de produção, são algumas das iniciativas promovidas pelo setor público e privado.

Acordo de Paris para reduzir o impacto das alterações climáticas foi assinado e ratificado por 195 países em dezembro de 2015. Este acordo visa «reforçar a resposta global à ameaça das alterações climáticas, no contexto do desenvolvimento sustentável e esforços para erradicar a pobreza «. 

Em 2019, a ONU celebra a Cúpula do Clima, na qual os governos do mundo devem estabelecer diretrizes para a implementação do Acordo de Paris. Em discurso, o Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres, declarou que o que falta para atingir o pleno potencial do Acordo é a liderança e a ambição de fazer o que é necessário.

O futuro da sociedade, dos negócios e das famílias depende das decisões e ações que tomamos hoje. Lutar contra a mudança climática é um dos principais pilares de ação para um mundo sustentável e as organizações podem contribuir de maneira significativa nesse sentido.

A maior responsabilidade para conter a emissão de gases de efeito estufa recai sobre os países e empresas que produzem combustíveis fósseis, já que apenas 25 deles geram 51% das emissões. No entanto, todas as organizações podem adotar práticas e ideais que promovam um modelo de negócios amigável com o meio ambiente.

Movilidade como serviçio

As inovações públicas e privadas que visam melhorar a mobilidade das pessoas nas cidades permitiram que os cidadãos tivessem acesso a serviços mais eficientes e tirassem mais proveito do tempo. Uma das alternativas que você pode implementar em sua empresa para garantir uma mobilização mais eficiente de sua equipe é a mobilidade como serviço.

O foco na mobilidade como serviço ou o MaaS, por sua sigla em inglês, significa escolher a forma mais conveniente de viajar a qualquer momento, utilizando veículos que não nos pertencem, buscando uma mobilidade mais sustentável. O objetivo do MaaS é aliviar o congestionamento urbano, limpar a atmosfera, economizar recursos e minimizar o impacto no meio ambiente.

As plataformas MaaS reúnem, coletam e integram informações para tomadas de decisão rápidas e precisas, organizando os modos de transporte para que a jornada do ponto A para o ponto B seja realizada da maneira mais eficiente possível, utilizando os meios disponíveis. Desta forma, um usuário pode conectar os diferentes serviços de transporte que a cidade oferece em um único aplicativo móvel, a fim de melhor organizar e agendar sua viagem.

Cabify

A Cabify faz parte do grupo Maximobility, que busca integrar diferentes aplicativos e serviços de transporte, buscando tornar-se um provedor completo de MaaS. Nesse sentido, o grupo Maximobility busca integrar diferentes opções: Carros sob demanda, Táxis, Micromobilidade, Entrega, Helicópteros.

A Cabify é uma organização comprometida com a promoção e implementação de valores que tenham impacto positivo na sociedade. É o primeiro aplicativo de mobilidade na Europa e na América Latina a ser 100% neutro em emissões de carbono. Além disso, aderiu ao Pacto Global das Nações Unidas e cumpre os 10 princípios contidos neste Pacto.

O Projeto Carbono Neutro é o projeto da Cabify responsável por neutralizar as emissões de carbono emitidas pelos seus veículos. Além disso, a empresa busca eletrificar toda a sua frota a médio prazo.

5.

A responsabilidade comença em casa

Um dos princípios mais importantes a serem levados em consideração ao elaborar a estratégia de Responsabilidade Social Corporativa de sua empresa é que primeiro você precisa olhar para dentro, se preocupar com a situação da equipe e monitorar o cumprimento de seus direitos humanos.

Nesse sentido, é importante conhecer a legislação local e os acordos internacionais sobre os direitos do trabalhador e da organização, bem como implementar processos que garantam seu estrito cumprimento.

A Cabify preocupa-se em melhorar as condições dos motoristas e suas famílias: treinamentos, eventos, seguros, bolsas de estudo, planos de previdência. Ela também fornece os parceiros que fazem parte de nossa comunidade, contato direto com a equipe de suporte, controle de rotas, protocolos de segurança e acesso a HUBs (espaço para relaxar, conviver, esclarecer dúvidas).

A Cabify desenvolve iniciativas para promover o empoderamento de mulheres e jovens através de ações como Make a Wish, associações de mulheres, bolsas de estudo IronHack, projeto Everis (orientação de jovens em risco).

Por meio do seu programa de responsabilidade social corporativa, a empresa apoia comunidades desfavorecidas com planos de trabalho como parceiros e facilidades de financiamento.

Uno de los principios más importantes a tener en cuenta a la hora de elaborar la estrategia de Responsabilidad Social Corporativa de tu empresa es que primero hay que ver hacia adentro, preocuparnos por la situación del personal y vigilar el cumplimiento de sus derechos humanos. En este sentido es importante conocer la legislación local y acuerdos internacionales sobre los derechos del trabajador y la empresa, así como implementar procesos que garanticen su estricto cumplimiento.

Cabify se preocupa por mejorar las condiciones las condiciones de los conductores y sus familiares: trainings, eventos, seguros, becas, planes de pensiones. Así mismo brinda a los socios conductores que forman parte de nuestra comunidad, contacto directo con equipo de soporte, control de rutas, protocolos de seguridad y acceso a HUBs (espacio para relajarse, convivir, despejar dudas).

Cabify desarrolla iniciativas para promover el empoderamiento de la mujer y los jóvenes a través de acciones como Make a Wish, asociaciones de mujeres, becas Ironhack, proyecto Everis (mentoring de jóvenes en situación de riesgo). A través de su programa de responsabilidad social corporativa, la empresa apoya a comunidades desfavorecidas con planes de trabajo como socios y facilidades de financiación.

Saúde e Segurança

Um dos aspectos mais importantes em que a Responsabilidade Social Corporativa está focada é a criação de espaços seguros e saudáveis ​​para trabalhar. As organizações podem integrar suas políticas de saúde e segurança ocupacional em suas estratégias de RSC, que permitem que seus funcionários desfrutem de melhores condições de trabalho que garantam sua dignidade, desenvolvimento integral e boa condição física.

Sobre os acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, a Organização Internacional do Trabalho afirma em seu site que «o custo desta adversidade diária é enorme e a carga econômica de más práticas de segurança e saúde é estimada em 4% do Produto Interno Bruto Global de cada ano «. A realidade é alarmante, mas muitas dessas afetações podem ser evitadas através do estabelecimento de práticas informativas, inspeção e acompanhamento, treinamento e testes. O princípio deve ser buscar segurança máxima em todos os processos de nossas empresas.

Transparência e Integridade

As organizações estão sob os olhos do público e do escrutínio de seus próprios trabalhadores. A transparência nos projetos desenvolvidos pela empresa, bem como a integridade e coerência dos valores na tomada de decisões, é valorizada por consumidores cada vez mais informados e críticos. 

A transparência permite que a empresa deixe a sociedade saber como ela atua, abrindo-se a juízos de valor e possíveis críticas.Um artigo na revista Forbes observa que «o caminho da transparência é a comunicação, por isso devemos melhorar o sistema de comunicação da empresa tanto interna quanto externamente».

«Transparência gera confiança, não só em usuários ou clientes, mas também permeia um sentimento de orgulho em seus funcionários que permite uma sinergia e a suposição da mística da empresa. Ao trabalhar sob uma perspectiva de transparência e responsabilidade, a instituição cria uma boa reputação «, diz um artigo no Diario Listin.

Você está pronto para promover a transparência em sua empresa? O portal Tech Executive Search apresenta 5 práticas que, como executivo, você pode usar para implementar uma cultura de transparência:

  1. ter uma comunicação interna que reflita os valores da empresa;
  2. colocar o foco na sinceridade, mesmo que as notícias não sejam boas;
  3. relatar todas as alterações rapidamente;
  4. dar aos trabalhadores acesso a documentos relevantes;
  5. manter as redes sociais atualizadas

Pacto Mundial

O ponto 10 do Pacto Mundial afirma que «as empresas devem trabalhar contra a corrupção em todas as suas formas, incluindo extorsão e suborno».

Nesse sentido, as organizações devem implementar políticas e aplicá-las corretamente, de modo a evitar atos ilegítimos em qualquer nível da estrutura das pessoas e punir os responsáveis ​​pela ação ou omissão, caso sejam cometidos.

A Corporate Compliance foi criada para identificar os possíveis riscos legais e operacionais enfrentados pelas empresas e os mecanismos para preveni-los e agir quando eles ocorrem.Segundo a World Compliance Association, essa prática deixou de ser uma opção voluntária da empresa e se tornou uma obrigação em suas estratégias de sustentabilidade, a fim de evitar as sanções que estão se tornando mais fortes a cada dia. 

O portal da Associação afirma que «A função de conformidade visa principalmente definir e educar as forças de vendas nas chamadas ‘ áreas cinzentas’ — políticas de presentes e hospitalidade, entretenimento, contribuições de caridade, patrocínio, etc.

Esses processos ainda não estão internalizados e, portanto, não foram automatizados”.

Como você pôde acompanhar, a Responsabilidade Social Corporativa é fator-chave para as organizações contemporâneas.

A Cabify tem o objetivo de fazer das cidades melhores lugares para se viver, criamos um modelo de negócio sustentável, guiado por princípios básicos de ética. Mais que mobilidade como serviço (MaaS), a proposta é oferecer um futuro de novas possibilidades,  respeitando às pessoas e o meio ambiente.

Quer entender melhor como a Cabify pode ser um parceiro e levar a Responsabilidade Social Corporativa para sua organização? Conheça nossas soluções para empresas

Comienza ahora

Completa el siguiente formularia y nos pondremos en contacto contigo para resolver cualquier pregunta que tengas.